Home » PacaembuCNC » Franqueadores facilitam pagamento para atrair os microempreendedores

Franqueadores facilitam pagamento para atrair os microempreendedores

23 de junho de 2016
PacaembuCNC

Ação de redes tem como objetivo garantir a abertura de novas lojas em meio à recessão

Franqueadores facilitam

Na outra ponta, bancos querem fazer negócio com um dos ramos do varejo com menor taxa de mortalidade

São Paulo – Para atrair o investidor, e seguir expandindo mesmo em meio à crise, inúmeras redes de franquias passaram a permitir o parcelamento do investimento inicial. Em geral, esse estímulo vem em duas frentes: oferecido pela própria empresa e por meio de parcerias com bancos.

A rede de franquias de bares Nosso Bar, da Ambev, começou em meados do ano passado a oferecer o parcelamento do aporte inicial em até quatro vezes sem juros, e também iniciou uma parceria com o banco Santander. O intuito, segundo o gerente corporativo de franquias, Lucas Porto, é estimular o pequeno empreendedor no Brasil, e vem em linha com o aumento da procura de novos interessados no negócio.

“Foi uma forma de ajudar o microempreendedor a ingressar na nossa rede. Trabalhávamos muito com a conversão de bandeiras, mas nos últimos anos cresceu bastante a procura de novos investidores”, afirma o executivo.

A parceria com o banco oferece um prazo maior para o financiamento do investimento, que pode chegar a 48 meses – com prazo de carência de 6 meses. É cobrado, no entanto, uma taxa de juros mensal, a partir de 1,98%.

As duas ações vêm se provando corretas, e, de acordo com Porto, quase 100% dos novos investidores têm optado por utilizar o benefício. “Atualmente, é muito difícil fecharmos um contrato sem o parcelamento”, ressalta.

Outra rede de franquias que começou recentemente a oferecer o estímulo foi a Doctor Feet, que presta serviços de podologia. A empresa, que possui cerca de 80 franquias no Brasil, permite o parcelamento do investimento inicial em até quatro vezes sem juros e, assim como o Nosso Bar, iniciou uma parceria com o banco Santander. As duas iniciativas começaram dois meses atrás, e, segundo o gerente de expansão da companhia, Mário Gasperini, desde a fundação da rede – 18 anos atrás – essa é a primeira vez que eles permitem o parcelamento.

Isso ocorreu por entenderem essa como uma necessidade recorrente dos investidores. “Temos sentido que eles estão com um capital menor e buscando cada vez mais por esse tipo de facilidade”, afirma.

Em relação à parceria com o Santander, o executivo explica que ela permite financiamento de até 50% do valor total.

Apesar de ambas terem iniciado o parcelamento em decorrência da atual conjuntura, e como forma de estimular a abertura de novas unidades, as duas empresas afirmam que mesmo com a estabilização da economia o benefício deve continuar, já que é uma forma de estimular o micro e pequeno empreendedor. “Acho que o parcelamento direto, da própria rede, será uma prática permanente da empresa”, diz Gasperini, da Doctor Feet.

Interesse dos bancos

Essa procura cada vez maior de empreendedores com interesse em investir em franquias também foi percebida pelos bancos, que ampliaram seus serviços voltados para o setor. O Santander, por exemplo, anunciou na 25° edição da ABF Expo Franchising uma linha de crédito de R$ 1 bilhão para o segmento e a criação de um núcleo especializado na área.

O Bradesco, por sua vez, anunciou no evento o aumento do limite máximo de financiamento em sua linha de crédito, que passou para R$ 250 mil para as microempresas, e R$ 375 mil para as pequenas.

Segundo o superintendente executivo de pequenas e médias empresas do Santander, Marcelo Aleixo, os principais fatores que influenciaram nessa decisão foram: o volume alto de crescimento do segmento – com mais de 140 mil unidades franqueadas – e o faturamento superior a R$ 138 bilhões em 2015.

“Além disso, essas empresas têm uma taxa de mortalidade muito baixa. Os clientes que nos procuram para esse financiamento, normalmente têm uma chance de sucesso muito grande, porque já vêm com uma marca e um modelo de gestão conhecidos, com produtos já testados pelo mercado”, afirma o executivo.

Com isso em mente, o banco pretende dobrar o número de clientes franqueadores até o final deste ano. No primeiro trimestre, o Banco já contava com 85 redes de franquias brasileiras na carteira de clientes.

Fonte: DCI – SP – Por: Isabela Bolzani

E-mail

Sem Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

^